Saiba como prevenir e tratar a celulite 18/11/2017




Oito em cada 10 mulheres possuem celulite, aqueles furinhos indesejados que dão aspecto de casca de laranja à pele

 

Além de ter uma estrutura do tecido conjuntivo diferente dos homens, o sexo feminino é mais acometido por esse problema por outras razões. Entre elas estão os hormônios e o fato de que, na mulher, a gordura se acumula principalmente nas coxas, quadris e nádegas – regiões propensas à Lipodistrofia Ginóide, nome científico da indesejada celulite.

Dietas ricas em carboidratos simples e gorduras, sedentarismo, oscilações de peso e consumo insuficiente de água são fatores que costumam resultar em celulite. A boa notícia, lembra o dermatologista e consultor da NetfarmaDr. Daniel Dziabas, é que todos esses comportamentos podem ser controlados. "Prestando atenção nestes hábitos, as mulheres conseguem se prevenir contra a celulite, além de outras doenças, como obesidade, males cardiológicos e diabetes", esclarece o especialista, que é membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Por outro lado, a medicina estética e a indústria cosmética têm aliados no tratamento desse problema que apavora as mulheres. A esfoliação e a hidratação constante da pele são medidas que também ajudam a controlar os temidos furinhos. É possível encontrar bons produtos à base de retinoides, castanha, extrato de chá-verde e diversas outras composições.

Um método bastante procurado é o ultrassom de alta frequência, que produz efeitos térmicos e mecânicos, favorecendo a modelagem e diminuição da gordura localizada, tratamento da flacidez e estímulo do tônus muscular. Em média, são indicadas de 8 a 10 sessões, uma vez por semana, e com duração de 30 a 40 minutos. Os resultados aparecem a partir da quarta sessão. É um tratamento indolor e não há necessidade de anestesia. O procedimento deve ser indicado sempre por um profissional da área.

Outra boa medida na luta contra a celulite e sua prevenção são as massagens, como a drenagem linfática, que melhora a circulação linfática e sanguínea, dispersando a reserva de fluídos nos tecidos. Essas técnicas reduzem o surgimento das protuberâncias, além de permitir a suavização do tecido fibroso, resultando na redução de inchaços, sulcos e no aspecto "casca de laranja".

Publicidade



Publicidade